Correr com ou sem máscara ?

Data da postagem:

Correr com ou sem máscara ?

DATA DA POSTAGEM: 11/09/2020

Devido ao momento de pandemia que vivemos muitos questionamentos a respeito do uso de máscara para praticar exercícios foram levantados. Algumas pessoas usam o assessório para praticar corrida e outros dizem não conseguir. No entanto, fomos atrás de informações mais consistentes para trazer um conteúdo o mais esclarecedor para nossos seguidores.

            Na data de 28/07 desse ano a revista Veja Saúde citou em reportagem um estudo feito pelo médico cardiologista Fabrício Braga que analisou 12 pessoas que pedalaram com máscaras por 12 minutos, sendo que seis dos voluntários pedalaram com baixa carga e seis com carga moderada. O principal achado do estudo foi uma queda na frequência respiratória causada pela máscara, que provoca uma resistência para inspirar e expirar, como consequência ocorre um desconforto ao longo da atividade já que é necessária uma maior força dos músculos respiratórios e por isso há um pequeno aumento da frequência cardíaca. Entretanto segundo o médico, esse desconforto ou o aumento da frequência cardíaca não gera problemas para a saúde, lembrando ser uma atividade leve ou moderada, ele ainda cita duas maneiras para reduzir o desconforto, que seria uma respiração mais rápida e curta ou uma respiração mais leve e alongada, sendo esta última a recomendação do médico já que a respiração rápida pode gerar mais calor na região da face, outra queixa dos participantes, e tornar a troca gasosa menos eficiente.

            Em uma situação de maior intensidade física, de acordo com o professor e fisiologista Valdir Braga que publicou um texto sobre o assunto em seu instagram no dia 28/05, quando se trata de exercício de alta intensidade além da máscara perder seu efeito por conta da umidade ela ainda induz alterações fisiológicas prejudiciais a atividade. Durante o exercício vigoroso a frequência respiratória aumenta mais em relação as intensidades de leve a moderada elevando de maneira expressiva a utilização de oxigênio e produção de CO2. Com a máscara o CO2 pode não ser eliminado totalmente, principalmente dependendo do material da máscara, podendo levar a uma acidose respiratória e em casos extremos prejudicar a performance. Do ponto de vista fisiológico o uso de máscara durante o exercício é aconselhado apenas nas intensidades de leve a moderada.

            Sabemos que durante a pandemia a maioria dos atletas, seja amador ou profissional, reduziram significativamente a intensidade dos treinos por conta do cancelamento das provas e eventos. Porém, um atleta não deve parar completamente de treinar e algumas sessões mais intensas devem continuar para que o indivíduo não perca totalmente o condicionamento físico e consiga recuperar a performance no retorno das competições. Uma opção para realizar a sessão de treino de alta intensidade é estar com a máscara sempre com você e ir a um local sem aglomerações em horários menos frequentados para poder realizar, por algum tempo curto, a fase mais intensa do treino sem a máscara no rosto. E sempre que cruzar com alguém recolocar a máscara na face ou desviar da outra pessoa buscando um distanciamento de 1,5 m, que é o indicado.

            E você, o que pensa em relação ao uso da máscara durante o exercício? Conte-nos nos comentários!